Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Linguarudo

Orgulho de ser brasileiro, mas sobretudo carioca, um estado de espírito, um estilo de vida, nascido em Madureira no Rio, capital do samba, flamenguista e Beija-Flor de Nilópolis; sincero, franco, sem papas na língua, marrento, fala o que sente na lata

Orgulho de ser brasileiro, mas sobretudo carioca, um estado de espírito, um estilo de vida, nascido em Madureira no Rio, capital do samba, flamenguista e Beija-Flor de Nilópolis; sincero, franco, sem papas na língua, marrento, fala o que sente na lata

O Linguarudo

20
Out12

Rio: Guardando o lixo longe da paisagem, alta tecnologia e criatividade

olinguarudo

Novo método de coleta de lixo inspirado na Europa é implantado na Zona Portuária do Rio de Janeiro

  

 

Quem passa hoje pela Rua Barão de Tefé, na Gamboa – um dos bairros que vêm sendo revitalizados na Zona Portuária do Rio de Janeiro – talvez não perceba duas insuspeitas latas de lixo na calçada. O cidadão mais atento, porém, logo percebe que, sob eles, há um piso em falso: é lá, debaixo da terra, que o novíssimo bairro armazena o lixo recolhido nas residências e nas ruas – bem longe das vistas, portanto, do novo cartão postal carioca.

 

“Os benefícios são imensos. Primeiro, evita-se o acúmulo de lixo nas ruas, que atrai ratos e mau cheiro. Isso impede também que, durante as chuvas, o lixo seja arrastado para os bueiros e provoque alagamentos”, conta o diretor-presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Rodrigues Ponte.

 

O Coleta + Rio, que terá 42 coletores – 21 para produtos orgânicos e outros 21 para recicláveis –, é pioneiro no Brasil e foi inspirado no sistema adotado na cidade de Portimão, em Portugal. São dois depósitos subterrâneos com capacidade para armazenar cinco toneladas de lixo cada um. Com uma chave, o funcionário abre o depósito sem muito esforço. Em seguida, um caminhão de lixo especial é comandado, via controle remoto, a içar as caçambas.

 

Guardando o lixo longe da paisagem

  

Com o novo sistema, a coleta pode ser feita de três em três dias, o que diminui o impacto do caminhão no trânsito e, consequentemente, o lançamento de gás carbônico no meio ambiente. Cada contentor subterrâneo tem capacidade de armazenamento de 3 mil litros de material – ou 12 vezes mais do que uma caçamba de lixo comum.

 

A obra também é relativamente simples. A escavação dos depósitos subterrâneos é feita na medida em que as obras de revitalização avançam na região. As novas ruas que surgem no Porto estão recebendo calçadas mais largas, reestruturação do saneamento básico e instalação de canaletas para a passagem de fios subterrâneos. A expectativa é que até 2015 todo o sistema esteja funcionando plenamente.

 

Além disso, o Porto Novo já está em contato com cooperativas de lixo. A ideia é que tudo o que for recolhido na região seja encaminhado para catadores de lixo, que serão responsáveis pela seleção do material reciclado. O consórcio é responsável não só pelas obras da área, como também pela coleta de lixo das ruas e dos domicílios. A Porto Novo recolhe, em média, 2,6 toneladas de lixo por mês da Região Portuária – sendo 1,1 mil toneladas das ruas e 1,5 mil toneladas dos domicílios.

 

Foto: www.cidadeolimpica.com

20
Out12

Parque de Madureira: O parque é nosso, isso é um parque, o resto ta de sacanagem

olinguarudo

Um esculacho de parque, fruto da criatividade, da irrevenrência e da inteligência do carioca, uma realidade em funcionamento para dar mais conforto, comodidade, recreação e lazer à população.

 

Parque Madureira é abraçado pela comunidade e vira ponto de encontro entre moradores de todas as regiões da cidade e até de turistas

 

 

Dia desses, um senhor apareceu no Parque Madureira, inaugurado há pouco mais de três meses, levando um punhado de peixes dentro de bolsões d’água. Ele havia usado parte de sua aposentadoria na aquisição do cardume, e queria apenas coloca-los nos lagos que cortam os novos jardins da Zona Norte, ajudando, assim, a adorna-los. Outro dia, uma moradora puxou a mangueira de casa e começou a regar as plantas do local – a despeito dos guardas municipais lembrarem-na da existência de um sistema de irrigação automático. Anedotas como essas se tornaram comuns na região, e demonstram o quanto o parque foi, definitivamente, abraçado pelos cariocas.

 

 

“Pode reparar: não há um papel no chão. E quem joga é logo repreendido por outro frequentador – festeja o arquiteto Ruy Rezende, responsável pelo projeto. – Há poucos dias, embarquei por acaso num ônibus com turistas do mundo inteiro, por conta da exposição ArtRio. Num determinado momento, o guia anunciou o itinerário: Pão de Açúcar, Corcovado, Aterro do Flamengo e… Parque Madureira! Quando ouvi isso, conclui que, realmente, o parque foi inserido no cotidiano da cidade.

 

 

O sucesso não é por acaso, uma vez que o parque foi concebido com equipamentos de cultura, esporte e lazer típicos da rotina carioca. São mais de 112 mil metros quadrados com quadras esportivas (de futebol a tênis de mesa), quiosques, lagos, ciclovias e arena de eventos (com direito a shows internacionais como o cantor de soul, Billy Paul). Além, claro, do espaço nomeado pelos moradores como Praia de Madureira, uma queda d’água infinita.

 

O Parque é nosso

 

E há, ainda, a Nave do Conhecimento: um espaço com acesso gratuito à internet, tanto em computadores como em tablets, que oferece ainda cursos variados. Lá o usuário também pode pesquisar sobre a história do bairro e da cidade por meio de grandes telas em touchscreen. E, às sextas feiras, uma das paredes transparentes da Nave é transformada numa telão de cinema a céu aberto.

 

 

“É um evento que já faz parte da rotina dos moradores das redondezas e dos frequentadores mais assíduos. As pessoas, aos poucos, vão tendo a dimensão do que é ter uma área verde ao lado de casa, com tantas possibilidades de lazer das mais variadas. É uma nova realidade que deixa os moradores mais antigos abismados”, conta Eduardo Azeredo, coordenador da Nave.

Além dos vizinhos, pessoas de áreas mais distantes também já perceberam tamanha riqueza. A professora Jurema Conceição dos Santos, de 48 anos, mora em Paciência, na Zona Oeste, e já levou os dois filhos ao parque pelo menos cinco vezes.

 

 

“Em qualquer folga, é para cá que nós viemos. A gente chega, deita na grama e relaxa, enquanto as crianças brincam nas quadras ou na Nave do Conhecimento. É ótimo para deixar as crianças livres, numa área verde com segurança e limpeza”, comemora Jurema.

 

Fonte: www.cidadeolimpica.com

20
Out12

TransOeste: Caminho de ar puro, animais silvestres e muito verde

olinguarudo

Parques da Zona Oeste do Rio que cercam a obra da Transoeste mostram que é possível aliar progresso, mobilidade e preocupação ambiental

 

 

Jacarés, capivaras, lagos e palmeiras centenárias ensinam que é possível conviver com cenários bucólicos numa capital movimentada como o Rio de Janeiro. Com a chegada de grandes obras como a Transoeste, moradores de toda a cidade e visitantes vão poder desbravar com mais rapidez e facilidade o charmoso roteiro ecológico que existe na Zona Oeste carioca.

 

Quando a via estiver concluída, o Túnel da Grota Funda vai encurtar o caminho de quem segue para Ilha de Guaratiba. Aí vai ficar mais fácil passar o dia entre as espécies raras e o ar puro do Horto das Palmeiras, uma área de 200 mil metros quadrados e mais de 150 tipos diferentes da típica árvore. O local, que recebe muitos arquitetos, botânicos, biólogos e paisagistas, é também um ótimo passeio para toda a família.

– Estamos no roteiro turístico da cidade. É facílimo chegar aqui, ainda mais com a Transoeste, que vai propiciar quem vem da Barra e da Zona Sul chegar mais fácil ainda – diz o dono do Horto, Moysés Abtibol, que ganhou a área como parte do pagamento de um imóvel há mais de 20 anos e resolveu explorá-la comercialmente para, além de lucrar, prevenir possíveis invasões.

 

Transoeste cercada de ver

Entardecer no Bosque da Barra: para se sentar à beira do lago com a família

 

Entardecer no Bosque da Barra: para se sentar à beira do lago com a família

Em pouco tempo, o Horto se tornou um dos maiores especialistas em palmeiras do país. Não à toa, sua equipe foi contratada para realinhar 42 árvores que se encontravam no local onde será a saída do Túnel da Grota Funda. Replantadas, elas agora vão acompanhar o traçado e enfeitar a Transoeste.

– Sempre trocamos ideias com a Fundação Parques e Jardins. Com a Transoeste foi muito interessante: fomos procurados para prestar o serviço de “transplantar” as palmeiras. Elas medem de 25 a 30 metros de altura e tinham que ser alinhadas ao longo da saída do túnel na via expressa. O maior orgulho disso, e a grande vitória, foi que todas sobreviveram – conta Moysés, detalhando que seus funcionários levaram 30 dias para realizar o trabalho.

 

Transoeste cercada de verde

Entrada do Sítio Burle Marx, em Guaratiba: antiga casa do famoso paisagista agora é aberta ao público

 

Entrada do Sítio Burle Marx, em Guaratiba: antiga casa do famoso paisagista agora é aberta ao público

A 15 minutos do Horto está o Sítio Burle Marx. O lugar, que tem mais de 400 mil metros quadrados, foi residência particular do famoso paisagista durante 20 anos. Hoje, é aberto ao público. Mas é preciso agendar as visitas, que acontecem sempre às 9h30 ou às 13h30 e duram cerca de uma hora e meia.

 

Com 5 km de trilhas, o Parque Municipal Chico Mendes, no Recreio dos Bandeirantes, fica aberto ao público das 8h30 às 17h30. Além de brinquedos para a criançada, o local tem bancos à beira da Lagoinha para quem quiser apreciar a natureza. Para apreciar a fauna, há viveiros com jacarés e jabutis, mas é possível ver preguiças, capivaras e aves raras soltas pela mata.

– É o único parque que recebe resgate de animais. Mas temos uma fauna nativa. São 130 espécies de aves vivendo em liberdade. O jacaré, é fácil encontrar na lagoa. As trilhas são bem conservadas, têm segurança. Essas obras vão facilitar o ingresso de pessoas aqui e aumentar o fluxo de visitas – calcula a gestora do Parque, Denise Wilches Monsores.

 

 

Perto dali, na Barra da Tijuca, o Bosque da Barra tem espaço para boas caminhadas, pedaladas ou para quem quer descansar em meio ao verde ou à beira do lago. Área de preservação ambiental, o parque fica próximo à Cidade da Música e funciona diariamente, das 9h às 17h.

SERVIÇO

 

*Bosque da Barra – Av. das Américas, km 6, Barra da Tijuca. Todos os dias, das 9h às 17h. Entrada gratuita.
*Horto das Palmeiras – Estrada das Tachas, 1.613, Ilha de Guaratiba. Tel.: 3427-5222. Entrada gratuita.
*Sítio Burle Marx – Estrada Roberto Burle Marx, Guaratiba. Tel.: 2410-1412. R$ 8.
*Parque Chico Mendes – Av. Jarbas de Carvalho, 679 (entre as Avs. das Américas e Sernambetiba). De terça a domingo, das 8h às 17h. Acesso gratuito. Tel.: 2437-6400.

 

Fonte: www.cidadeolimpica.com

20
Out12

BRT Transoeste muda o conceito de transporte público na cidade

olinguarudo

Corredor exclusivo para ônibus articulados vai reduzir o tempo de deslocamento entre Santa Cruz e Barra da Tijuca

 

 

Uma nova era nos transportes urbanos do Rio tem início nesta quarta-feira, com a inauguração do corredor BRT Transoeste, o primeiro da cidade, que vai ligar Santa Cruz ao Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. A implementação do corredor será gradual: nesta primeira fase, os ônibus articulados circularão somente pelas estações Pingo D´Água, Pontal, Recreio Shopping, Nova Barra, Gelson Fonseca, Pedra de Itaúna, Riomar, Novo Leblon e Alvorada, sempre das 10h às 15h, com intervalos de 10 minutos. Ao longo de 60 dias, as demais estações serão incorporadas ao trajeto, o que diminuirá pela metade o tempo de quem precisa se deslocar pela Zona Oeste.

 

Com capacidade para 140 passageiros, os ônibus do BRT terão ar-condicionado e tarifa única de R$ 2,75 e poderão ser pagas com o Bilhete Único Carioca ou o RioCard. Assim, durante um período de até duas horas, os beneficiados pelo novo sistema poderão fazer até três viagens, sendo duas de ônibus, tanto alimentador quanto comum, e uma de BRT. O preço da tarifa para integração com trens da Supervia será de R$ 3,95 e com ônibus intermunicipais, R$ 4,95.

- Com o Bilhete Único Carioca o passageiro pode embarcar no BRT em Santa Cruz, por exemplo, e seguir até o Terminal Alvorada. De lá, ele pode pegar um alimentador da Transoeste até o destino dele na Barra da Tijuca. Ou pode pegar também o BRT e uma linha para qualquer outro bairro do Rio de Janeiro, como Centro ou Zona Sul, pelos mesmos R$ 2,75 – explicou Marcos Tognozzi, coordenador de transportes da Zona Oeste pela Secretaria Municipal de Transportes (SMTR).

 

Para facilitar o acesso de quem mora longe das estações, o sistema BRT contará com as chamadas linhas alimentadoras, responsáveis por trazer os passageiros de seus bairros até a estação mais próxima e vice-versa. Com o tempo, as linhas de ônibus que fazem o trajeto Santa Cruz – Alvorada serão seccionadas e seus percursos, diminuídos. Com isso, circularão somente entre os bairros e a estação do BRT mais próxima.

 

BRT Transoeste muda o conceito de transporte público na cidade

Primeiro corredor BRT da cidade, Transoeste entra em operação ligando a Barra da Tijuca à Santa Cruz. Sistema funcionará 24 horas por dia e o serviço noturno será feito em estações pré-determinadas

 
Primeiro corredor BRT da cidade, Transoeste entra em operação ligando a Barra da Tijuca à Santa Cruz. Sistema funcionará 24 horas por dia e o serviço noturno será feito em estações pré-determinadas

 

Passageiros que ainda não possuem o Bilhete Único Carioca poderão comprar os cartões de passagem nas bilheterias das estações, que também estão equipadas com máquinas que, além da venda dos bilhetes, estarão aptas a efetuar a recarga dos mesmos.

- Todas as estações contam com agentes de segurança, agentes de plataforma, funcionários da limpeza e bilheteiros. Funcionários estarão à disposição dos passageiros para tirar eventuais dúvidas sobre o funcionamento do sistema. Além disso, as estações contarão com bicicletário – contou Tognozzi.

 

As estações estarão equipadas com monitores que informarão aos passageiros em qual a linha de ônibus ele poderá embarcar naquele momento, que sentido a linha estará seguindo e o tempo que falta para o BRT chegar na plataforma.

- O sistema BRT funcionará 24 horas por dia e o serviço noturno será feito em estações pré-determinadas, possibilitando um deslocamento mais rápido – disse Tognozzi.

 

Quando estiver em pleno funcionamento, a média de intervalo entre um BRT e outro vai variar entre dois e cinco minutos, dependendo do serviço (expresso ou parador), podendo chegar a oito minutos no período noturno.

 

Fonte: www.cidadeolimpica.com

20
Out12

TransOeste: Túnel da Grota Funda, um modelo de tecnologia

olinguarudo

Ligação entre os bairros do Recreio e de Guaratiba, a ‘estrela da Transoeste’ está 80% concluída e já nascerá como o túnel mais moderno da história da cidade, com sistema à prova de apagões, prevenção contra incêndios e acabamento com padrão europeu

 

 

 

Falta pouco para a conclusão de uma das maiores intervenções urbanas da cidade do Rio nas últimas décadas. Em fase de acabamento, o Túnel da Grota Funda está bem próximo da configuração visual que deverá ter depois de pronto. E já mostra as inovações tecnológicas que nenhum túnel carioca possui.

 

Ao todo, o túnel terá 1.100 metros de extensão e será o primeiro adaptado às diretrizes de segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Ele é encarado como ‘a estrela da Transoeste’, de acordo com o engenheiro Alexandre Risso, responsável pelas obras da via que ligará a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande.

  

– Nos emboques do Recreio e de Guaratiba haverá telas de proteção para que em caso de chuva e desmoronamento, as entradas do túnel não sejam fechadas, como ocorreu no Túnel Rebouças há alguns anos

 

– explica Risso.

Túnel da Grota Funda: um modelo de tecnologia

 Os trabalhos quando na fase de acabamento de uma das galerias: construção está 80% concluída

  

Os trabalhos em fase de acabamento de uma das galerias: construção está 80% concluída
Cada lado do túnel também contará com uma subestação de controle e segurança, que irá monitorá-lo 24 horas por dia. As duas terão gerador próprio e uma área para apoio técnico das equipes de socorro do túnel.

 

Inauguração da TransOeste túnel da Grota Funda

 

Também já estão sendo instalados os hidrantes para combate a incêndios e as bandejas galvanizadas de sustentação dos sistemas elétrico e de iluminação. E um toque a mais de modernidade da obra: a instalação dos painéis laterais, que serão pintados com tintas importadas da Suíça e usadas em todos os túneis europeus.

 

 

– As tintas são de fácil limpeza e ajudam na iluminação, garantindo assim segurança e qualidade de primeiro nível. A iluminação é em LED, uma novidade nos túneis do Rio de Janeiro – detalha o engenheiro.

 

Com aproximadamente 80% da obra já executados, a fase atual é de implantação da tecnologia necessária para tornar o Túnel da Grota Funda um modelo. Num trecho, já é possível ver as pequenas muretas segregadoras para as faixas do sistema BRT (Bus Rapid Transit), por onde passarão os ônibus Ligeirões.

 

 

– Hoje nós temos feito alguns trabalhos de melhorias nos túneis existentes, fazendo alguns revestimentos e mudanças de iluminação. Mas esse aqui já nasceu correto, ele será o túnel-modelo para os futuros túneis e o aprimoramento dos já existentes na cidade – conclui Risso.

 

Fonte: www.cidadeolimpica.com

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub